TOMÁS ANTUNES

Numa entrevista, concedida ao site oficial do clube, o atleta falou-nos sobre o seu percurso pelo clube e os objetivos para a próxima época desportiva.

Com que idade começaste a jogar?

Comecei a jogar aos 4 anos, na época 2011-2012, em maio, no G.D.S.C, fazendo sempre o meu percurso neste clube.

Qual a posição em campo que te sentes mais confortável?

Sinto-me muito confortável a jogar a médio esquerdo, porque como sou esquerdino consigo melhor conduzir a bola e fazer coisas básicas do futebol, enquanto no lado direito do campo baralho-me um bocadinho na hora de passes, etc.

O que mais gostas e o que menos gostas de fazer nos treinos?

Adapto-me bem aos exercícios, mas sem dúvida o que mais gosto é finalização, e o que não aprecio muito fazer é exercícios de passes.

Para ti como deve ser o treinador ideal?

Para mim um treinador ideal é um treinador que seja exigente nos exercícios, mas que também seja simpático.

Qual foi a aprendizagem mais importante para ti até hoje?

Para mim a aprendizagem mais importante foi a subida de escalão ao longo dos anos, porque em cada escalão havia mais exigência nos jogos, e isso proporcionou crescimento e aprendizagem com os diferentes treinadores. 

Qual foi o momento mais marcante no teu percurso pelo clube?

O momento mais marcante pelo clube foi há cerca de 4 anos ganhar a 2° fase da Distrital. Foi um momento muito feliz em equipa, e espero voltar a tê-lo noutro escalão.

Para quem não conhece o Tomás, como te descreverias como jogador?

Eu descrever-me-ia como um jogador que gosta de atacar, que fica muito triste quando perde jogos e que pensa no que podia fazer melhor.

Como tens vivido esta época tão atípica, com a impossibilidade de jogar e mesmo de treinar?

Tenho vivido na tristeza, sempre que vejo um jogo de futebol fico com um bocado de inveja porque vejo que os jogadores estão a fazer o que mais gostam, ou seja, jogar futebol, enquanto eu estou “proibido” de fazer o que mais gosto.

Esperando que na próxima época, o futebol regresse à normalidade, que objetivos traças para o que aí vem?

Espero conseguir recuperar a minha resistência, que é uma coisa que perdi desde que o futebol para a formação parou e depois tenho como objetivos dar o melhor e ganhar, ganhar e ganhar.

Quem é o teu maior ídolo no futebol?

O meu maior ídolo é o Paolo Dybala, jogador da Juventus, acompanho-o há vários anos e admiro muito a sua qualidade tática.

Para ti, qual o melhor 11 que já viste jogar?

O melhor onze que já vi jogar: Iker Casillas, Roberto Carlos, Fabio Cannavaro, Sergio Ramos, Cafu, Diego Maradona, Péle, Zinédine Zidane, Cristiano Ronaldo, George Weah, Garrincha.

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on email
Share on twitter